Dubai vem se posicionando como um destino de viagem de alto luxo e reúne uma série de recordes mundiais e curiosidades.

É uma cidade sem muita cultura própria, é totalmente artificial, com mania de grandeza, sem alma, porém, contudo, não obstante, é divertida.

Com ótimos restaurantes, hotéis luxuosos, shows dos melhores cantores internacionais e muitos shoppings, é uma metrópole que atrai turistas e expatriados do mundo todo.

Compartilho com vocês aqui algumas curiosidades sobre Dubai:

Dubai é uma das sete confederações (Estados autônomos) formadoras dos Emirados Árabes Unidos. Os demais emirados são: Fujairah, Abu Dhabi, Sharjah, Ras al-Khaimah e Umm al-Quwain.

Dubai é segundo maior emirado em área, perdendo apenas para Abu Dhabi. Mas é o mais populoso dos Emirados Árabes Unidos, com cerca de 2.262.000 habitantes. Detalhe: em 1967, Dubai contava com apenas 59.000 habitantes.

Você sabia que a população masculina da cidade de Dubai é quase três vezes maior do que a feminina?

Outra curiosidade sobre a população: 80% dos habitantes de Dubai é constituída de estrangeiros.

Aliás, mais uma curiosidade interessante: estrangeiros só podem permanecer no pequeno emirado por, no máximo, três anos.

Dubai é visitada anualmente por 10 milhões de turistas. Só para comparação: no Brasil, esse número não passa de seis milhões.

O atual governante de Dubai é o xeque Mohammed bin Rashid Al Maktoum, membro da dinastia Al Maktoum, que governa o emirado desde 1833.

Dubai é sede do canal de notícias em árabe Arabyia, rede que concorre com a Al Jazira, emissora do Qatar, a preferência do publico árabe.

A origem da palavra Dubai é incerta. Alguns acreditam que tenha vindo do persa, outros acham que nasceu do árabe. Alguns estudiosos da cultura dos Emirados Árabes acreditam que Dubai pode ter vindo de Daba, uma palavra derivada de Yadub, que significa rastejar – provavelmente uma referência ao fluxo da enseada de Dubai para o interior da Península Arábica.

Você sabia que existe um arquipélago artificial em Dubai chamado The World? O nome vem do seu formato. Visto do alto, o The World lembra o mapa-mundi.

Existem também em Dubai dois arquipélagos em forma de palmeira. Chamados de Palm Jumeirah e Palm Jebel Ali, as “Palm Islands” são arquipélagos artificiais feitos de areia e pedra. Para construí-los, foram utilizados 100 milhões de metros cúbicos de areia e pedras. Para se ter uma idéia do que isso significa: dá para soterrar 16 vezes a Lagoa Rodrigo de Freitas com essa quantidade de matéria-prima.

Existe uma pista de “esqui indoor” de 400 m no Emirates Mall.

Uma das maiores atrações do emirado são os souks, os tradicionais mercados árabes. Com a insenção de impostos, quase tudo é barato. Mas a regra (como em todo mercado árabe) é barganhar.

O souk mais visitado é o Golde Souk (o nome já diz tudo), um mercado com lojas especializadas em ouro. Colare, brincos, pulseiras, tiaras, tudo é feito de ouro. São 350 lojas que expõem diariamente uma quantidade equivalente a 20 toneladas de jóias. Não é à tôa que 72% dos consumidores são do sexo feminino.

A melhor época para visitar Dubai é entre janeiro e fevereiro (normalmente entre 20/01 e 20/02), quando acontece o Dubai Shopping Festival. Toda a cidade-Estado entra em promoção, com descontos de até 75%.

Dubai é o paraíso dos hotéis cinco, seis, sete estrelas… O hotel mais luxuoso é o Burj Al Arab, construído numa pequena artificial ilha perto da costa. Possui 60 andares e, acredite, desce 45 metros abaixo do nível da água. O Burj Al Arab possui paredes revestidas de ouro 24 quilates.

Outra extravagância do Burj Al Arab: ele possui nada mais nada menos do que 10 restaurantes.

O estilista italiano Giorgio Armani possui um hotel com a grife Armani no Burj Al Khalifa. Uma diária custa em torno de 1.100 dólares. É até uma pechincha em comparação com as suítes mais luxuosas, com diárias de cerca de 10.000 dólares. Em breve, Armani inaugurará filiais em outras capitais do mundo, mas em torres “menos altas”.

Uma das atrações do Burj Al Khalifa é o restaurant At.Mosphere, de cozinha internacional, localizado no 122º andar do arranha-céu. É o restaurante mais alto do mundo.

Aliás, você sabia que , com seus 200 andares, o Burj Al Khalifa pode ser visto a uma distância de 100 Km? Os arranha-céus de Nova York parecem prédios de brinquedo diante dele.

A verdade é que o Burj Al Khalifa é o maior arranha-céu do mundo, superando em muito os ex-maiores prédios Taipei 101 (em Taiwan) e Petronas Tower (na Malásia).
Sua pedra fundamental foi lançada em 21 de setembro de 2004 e o final das construções ocorreu um em 04 de janeiro de 2010. O Burj Al Khalifa possui 828 metros de altura.

Só para sua curiosidade: o Burj Al Khalifa abriga hotéis, escritórios, rádios, centros de compra e até uma mesquita.

O posto de observação do atual maior edifício do mundo fica a 442 metros de altura. Detalhe: a entrada é paga.

Para limpar todas as janelas do Burj Al Khalifa, são necessários 4 meses.

Dubai é o paraíso dos engenheiros, construtores, imobiliárias e hotéis. Todos os dias brota um prédio novo nas areias do deserto. Tanto é que um terço das gruas do mundo estão lá.

Em virtude do forte calor, quase todos os lugares possuem ar condicionado, até os pontos de ônibus.

Se você odeia o calor, a melhor temporada para visitas ao Emirados Árabes é de outubro a março, quando as temperaturas máximas giram em torno de 26º C.

Bebidas alcoólicas são proibidas em Dubai, assim como em toda a Península Arábica. A diferença é que pelo menos lá os turistas podem consumir uma cerveja ou uísque dentro dos hotéis. Advertência: se for flagrado consumindo álcool na rua, você terá imensos e inesquecíveis problemas.

Até que não é má idéia passar a lua-de-mel em Dubai. Desde que o casal de pombinhos evite gestos afetuosos em publico. Até mesmo dar as mãos na rua é proibido. Beijos, então, nem pensar. Dubai é um Estado muçulmano e para eles, o afeto só é permitido entre quatro paredes.

Esqueça a idéia de que Dubai é a Las Vegas do Oriente Médio. Além do álcool, o jogo também é proibidíssimo.

Evite contrair dívidas. Em Dubai e em outros locais do Oriente Médio, dívida é sinônimo de cadeia.

Está sendo planejado para Dubai um mega parque de diversões (Dubailand) com réplicas das Pirâmides do Egito, Torre Eifel e, acredite, até dos Jardins Suspensos da Babilônia. A réplica da famosa torre parisiense promete ser 20 metros maior do que a original.

Tudo bem que Dubai é a meca dos arquitetos e construtoras, mas onde vivem os trabalhadores da construção civil, que dificilmente são vistos nas ruas? Em Sonapur (Cidadade do Ouro, em hindi), distrito a 30 Km do Centro de Dubai. Sonapur é uma espécie de cidade-dormitório onde vivem cerca de 150 mil trabalhadores, em sua maioria de origem paquistanesa e indiana. Quase não existem mulheres por lá.

A crise econômica iniciada em 2008 atingiu em cheio o próspero emirado. Os turistas fugiram, os investimentos imobiliários caíram e Dubai teve dificuldade de honrar suas dívidas. Tanto que foi obrigada a aceitar ajuda de Abu Dhabi para pôr ordem na casa.

Um dos grandes investidores imobiliários de Dubai é a família saudita Bin Laden… Por acaso, você já ouviu esse sobrenome em algum lugar?