Marrakesh tem uma síntese perfeita na Djemaa el-Fna, sua grande praça. Ali se exibem encantadores de serpentes, vendedores de ervas milagrosas, dentistas primitivos com seus boticões, cartomantes, engolidores de fogo, dançarinos que parecem ter escapado de palácios de sultões. Todos fazem seus pregões em meio a um intenso aroma de especiarias. Tudo remete a um cenário de conto árabe, mas o lugar tem origem bérbere, como boa parte do povo marroquino. Uma vez lá, suba até o terraço de um dos muitos restaurantes e contemple a muvuca. (VC) Uma boa lista de restaurantes em Marrakesh deve incluir o Dar Zellj, que serve tajine, cuscuz e pastilla. Aos sábados, acontece show de música árabe. O Le Bô-Zin é um pouco distante do centro, mas ótimo para ir a noite, com DJs e pratos leves, como tajine de peixe. O Le Tobsil é aconchegante e tem um clima romântico. O menu é marroquino com toque francês – e há uma carta de vinhos razoável (coisa rara no Marrocos).